Trabalho Voluntário – Uma iniciativa que só trás benefícios

Posted on April 10, 2018April 10, 2019

Há algumas décadas, as pessoas eram capazes de trabalhar de forma ordenada, tinham contato com familiares e amigos, dedicavam seus fins de semana para visitar parentes, pescar e passear na praça do Coreto, sem que isso lhes tirasse a possibilidade de viver com dignidade.

Hoje em dia, por conta de vivermos a cada dia no intuito de ganhar para sobreviver, vemo-nos submersos em exigências pessoais e profissionais, que nos assolam a ponto de tornar difícil pensar em mais alguém além de nós mesmos, de nossos compromissos, de nossa família, de nossa empresa.

Isso poderia ser aplicado como uma boa justificativa para a falta de iniciativa da sociedade em geral, que se omite e deixa de dedicar um pouco de seu tempo em prol de alguém que não lhe seja próximo. Falamos aqui da falta de ´espírito solidário´.

Não é raro recebermos ligações de organizações das mais diversas áreas nos convocando a contribuir financeiramente. Mas, quantas vezes somos convocados a doar nosso tempo?

Acredito que o natural seria oferecermos nosso tempo ao próximo, sem que fosse necessária uma convocação, mas tornou-se cômodo nos escondermos atrás da enxurrada de compromissos e ficarmos comodamente cuidando apenas de nossas próprias vidas, e tentando enxergar nelas problemas, dificuldades e infortúnios, que para muitos nada significariam. Daí a urgência em abrirmos nossos olhos e nossas mentes, e disponibilizarmos aquilo que nos é mais precioso, ´nosso tempo´, para ajudar a quem precise.

Se o que precisamos é de bons exemplos, vejamos o caso do Dr. Raul Alves de Araújo Melo, cirurgião-dentista que atua em São José, especializado em Odontologia do Trabalho, que começou a exercer o voluntariado há bastante tempo, motivado pelos avós que residiam e faziam trabalhos voluntários em Caraguatatuba. Hoje, mesmo envolvido com compromissos profissionais e familiares, encontra tempo e disposição para ajudar ao próximo.

Em 1998, quando era um jovem estudante de odontologia, e teoricamente deveria estar ´curtindo a juventude´, participou do projeto Universidade Solidária, antigo Rondon, prestando trabalho voluntário às comunidades de Nova Olinda – Ceará, em condições precárias. Idealismo de universitário? Não, visão humanitária!

Recentemente, ele participou de um projeto desenvolvido para prestar assistência odontológica para a Comunidade Beira Rio, próxima ao Clube de Campo Santa Rita. Durante seis meses dedicou seus sábados ao projeto, participando da fase de triagem que acontecia numa tenda dentro da Comunidade, e atendendo os pacientes que apresentavam necessidade de tratamento em seu consultório. Infelizmente, muitos pacientes não deram continuidade ao tratamento por falta de condições para ir às consultas, mas o primeiro passo, o da conscientização, foi dado.

O que devemos entender é que esse tipo de iniciativa só trás benefícios aos envolvidos. Para as cerca de quarenta crianças atendidas, foi uma da poucas oportunidades de receberem orientação e tratamento odontológico. Já para os profissionais que dedicam tempo e esforço, como fez o Dr. Raul, há um inquestionável ganho de experiência tanto profissional quanto de vida, e a satisfação de ajudar ao próximo dentro da profissão que abraçaram.

Para quem diz não ter tempo, aconselho que procurem refazer suas agendas. Para quem alega não ter dinheiro, lembre-se de que as empresas tem interesse em participar de projetos sociais. Portanto, o que falta mesmo é a boa vontade de quem possa oferecer tempo e mão de obra especializada a quem dela precise.

Se as atribulações diárias nos distanciam de uma conduta de vida mais solidária, resgatemos esse espírito prestando atenção aos bons exemplos e imitemos, como faríamos em outras épocas, pensando no bem estar de todos, e principalmente, na alegria de ver sua ação causando o bem aos que nos rodeiam.