Toda a verdade está no que as pessoas fazem de sua vida

Posted on July 19, 2017April 10, 2019

Nuno Cobra, renomado escritor, autor do livro “A semente da vitória”, conhecido como preparador de Airton Senna, Mika Hakkinem, Rubens Barrichelo, Gil de Ferran, Abílio Diniz, Sergio Machline, entre outros, fala brilhantemente que cada um é responsável até pelas próprias enfermidades.

“Tenho claro em minha mente, pelo que realizei de concreto com todos os tipos de enfermidade de fundo genético, que toda a verdade está no que as pessoas fazem de sua vida e não na vida que as pessoas recebem geneticamente. É certo que as possibilidades genéticas são um fato concreto, mas querer dizer que se vai contrair a doença por possuir uma carga genética defeituosa, aí é demais… Somente se irá adquirir esse tipo de doença ou qualquer outra se se batalhar por isso, desenvolvendo o potencial com uma vida torta e destruidora. Tudo se baseia em sua forma de viver.

O que faz a diferença são seus hábitos destruidores, que funcionam como um gatilho disparando a bala contra você mesmo. Quem aperta esse gatilho e faz vir à tona a parte fraca dos genes é você, se tiver um estilo de vida de total desrespeito à sua saúde.”

Hoje em dia existe um condicionamento no inconsciente coletivo que taxa todo tipo de enfermidade adquirida como uma “virose”, ou herança genética, fazendo com que as pessoas fiquem conformadas com a situação sem se preocupar de buscar o que causou a diminuição da resistência do organismo, fazendo com que ela ficasse esposta e vulnerável a contrair uma doença.

Muitas pessoas buscam remediar a situação sem procurar a causa, o que fará com que o medicamento sirva como um paliativo, remediando a situação naquele momento. Uma vez combatido apenas o efeito, o elemento causador tornará a se expressar numa outra oportunidade de enfraquecimento orgânico, podendo ser num momento de estafa, de stress, ou debilidade devido à má alimentação, sedentarismo, falta de descanço etc.

Não se trata de deixar o remédio de lado pois muitas vezes as pessoas ainda dependem dele, porém, está mais do que na hora de ir a procura do gerador da deficiência para combatê-lo antes dele se manifestar numa outra oportunidade, evitando-se assim, ter que remediar a situação por displicência ou falta de disciplina, falta de cuidado consigo mesmo.

A melhor pessoa para cuidar de nós somos nós mesmos. Tenha o controle da própria vida, dê o primeiro passo nesse sentido e verás que fica muito mais fácil antever o problema do que ter que remediá-lo.