Qual cadeira de massagem está certa?

Posted on April 17, 2019

As coisas só vêm em ondas. No decorrer de 2 a 3 dias, eu tinha 3 perguntas de clientes que tinham a ver com tamanho e peso e qual cadeira funcionaria. Eu tinha duas pessoas que eram mais de 6 pés e pesavam entre 300 – 350 libras. Em um dos dias em que recebi uma consulta, eu tinha um vendedor no showroom que me ouviu falando ao telefone com esse cliente sobre suas preocupações com o tamanho. O vendedor acabou de ser 6’5 ″ de altura e pesar 350 libras e ele só passou a oferecer para se sentar em todas as minhas cadeiras de massagem no showroom e dar a sua opinião honesta de cadeiras que se encaixam OK e que não o fez.

Antes de entrar nos resultados, devo dizer que esse sujeito, chamado Lyle, era muito alto e seu peso era bastante distribuído. Ele tinha uma barriga grande, mas o restante de seu corpo estava uniformemente distribuído. Existem diferentes formas e tamanhos do corpo, então o que pode ser adequado para Lyle pode não funcionar exatamente para alguém que tem ombros excessivamente largos ou uma seção central maciça ou nádegas. Isso faz sentido? Então, as opiniões de Lyle são para o seu tipo de corpo e podem ou não funcionar para o seu. Mas, pelo menos, há algumas sugestões e opiniões úteis que podem servir em seu processo de tomada de decisões.

Aqui está uma lista das cadeiras que ele tentou e uma opinião concisa de cada um, pois elas se referiam ao seu tamanho e tamanho:

Osaki OS-7075R – muito apertado nos ombros
Osaki OS-7200H – braços e ombros muito apertado
Panasonic MA70 – muito apertado no assento e ombros
Panasonic 30007 – muito apertado no banco e muito curto de uma cadeira
IT-8200 – muito apertado nos ombros
IT-9800 – ajuste OK
iRobotics 6 – muito apertado nos ombros e corpo
HT-7450 – ajuste OK
HT-9500x – ajuste OK
Inada Yume – ajuste OK
Inada Sogno – ajuste OK (seus termos exatos foram “Oh, wow” e “Inacreditável “)

Então, o longo e curto é que as seguintes cadeiras se encaixam nele:

IT-9800
HT-7450
HT-9500x
Inada Yume
Inada Sogno
Poltrona Polishop

Cada empresa de cadeira tem um peso máximo recomendado pelo usuário. Infinite Therapeutics IT-9800 tem um limite de peso de 350 lbs. O limite de peso para o HT-7450 e HT-9500x é de 285 lbs. O lema para cadeiras Inada é “se você pode encaixar, você pode sentar”. Assim, usando os pesos recomendados, as cadeiras IT-9800 e Inada seriam as melhores opções para uma pessoa do tamanho de Lyle.

Espero que isso ajude um pouco a decidir qual cadeira de massagem obter quando você tiver uma morfologia corporal maior.

A IMPORTÂNCIA DA PARCERIA

Posted on April 18, 2018April 10, 2019

Nos dias atuais, em que as pessoas tem se mostrado mais egoístas e voltadas para interesses próprios ou que lhe tragam vantagem, muitos se esqueceram da importância da PARCERIA, reunião de indivíduos para um fim de interesse comum.

Contudo, a parceria pode ser o ponto chave para o desenvolvimento individual, pois seus efeitos podem influenciar positiva, ou negativamente, no coletivo.Exemplo disso é a parceria comercial, onde uma empresa fornece ao seu concorrente um determinado produto, a preço justo, para que este não deixe de cumprir um compromisso junto ao seu cliente em virtude de não tê-lo disponível naquele momento. Quando isso acontece, ganham o consumidor (cliente), o concorrente que foi atendido, quem o atendeu e até a empresa que fabrica aquele produto, pois o fato do compromisso ter sido cumprido de forma correta dá maior credibilidade à marca ou serviço. Com se diz, um cliente satisfeito atrai outros dez, mas um insatisfeito afasta mil.

No âmbito social, a parceria também se reflete como algo de suma importância, uma vez que permite que decisões e atitudes que precisam ser tomadas de forma rápida e eficiência o sejam graças à participação de todos os envolvidos. Como exemplos temos as Sociedades Amigos de Bairro e as Associações profissionais. As Sociedades de bairro só alcançam êxito quando todos os envolvidos naquela comunidade se aproximam e participam em parceria na promoção de benefícios para o bairro, quer seja através de recursos financeiros na execução de obras ou contratação de serviços, quer seja através de influência política para obter junto a pessoas e órgãos aquilo que seja necessário para a solução de problemas ou crescimento do bairro. Quando se fala de entidades profissionais a situação é ainda mais evidente, pois com a mobilização de todos os profissionais de um segmento, se consegue realizar a valorização da profissão, a moralização, a fiscalização e a criação de ferramentas que possibilitem não só a solidificação, mas a manutenção da credibilidade daqueles profissionais perante a sociedade. Apesar disso, o que se vê são vizinhos que mal se conhecem, que se abstêm de participar das reuniões de bairro e que se recusam a colaborar com iniciativas promovidas em prol do coletivo, e quanto às associações profissionais, muito se tem cobrado em termos de contribuições anuais (CRECI, OAB, CRM etc.) e pouco se tem feito para o bem do profissional e da profissão, e nesse caso, a falta de participação acaba sendo compreensível.

Finalmente, em se falando do indivíduo, vemos que mais uma vez a parceria tem efeito sobre os resultados que se espera da vida em coletividade. Quando se fala em preservação do meio ambiente através da reciclagem, do consumo responsável e da não utilização de copos e sacos plásticos, tudo o que se espera é que empresas e indivíduos atuem em parceria, fazendo cada um a sua parte, sem o que nada trará resultados palpáveis.

Também quando se fala sobre a educação e a formação de crianças e adolescentes, pautada em princípios éticos e morais, com especial atenção ao trabalho em grupo, gerando integração e motivação em todos os componentes, ensinando a respeitar as diferenças e somá-las visando o bem comum, também se faz mister a atuação numa parceria, na qual estejam envolvidos pais, profissionais da educação e autoridades governamentais, pois somente com a participação de todos com o uso da mesma linguagem e na busca dos mesmos resultados, se poderá realizar um bom trabalho, que surtirá efeitos e trará benefícios para a sociedade como um todo.

Autor: Alex Vargas da Live Midia

Trabalho Voluntário – Uma iniciativa que só trás benefícios

Posted on April 10, 2018April 10, 2019

Há algumas décadas, as pessoas eram capazes de trabalhar de forma ordenada, tinham contato com familiares e amigos, dedicavam seus fins de semana para visitar parentes, pescar e passear na praça do Coreto, sem que isso lhes tirasse a possibilidade de viver com dignidade.

Hoje em dia, por conta de vivermos a cada dia no intuito de ganhar para sobreviver, vemo-nos submersos em exigências pessoais e profissionais, que nos assolam a ponto de tornar difícil pensar em mais alguém além de nós mesmos, de nossos compromissos, de nossa família, de nossa empresa.

Isso poderia ser aplicado como uma boa justificativa para a falta de iniciativa da sociedade em geral, que se omite e deixa de dedicar um pouco de seu tempo em prol de alguém que não lhe seja próximo. Falamos aqui da falta de ´espírito solidário´.

Não é raro recebermos ligações de organizações das mais diversas áreas nos convocando a contribuir financeiramente. Mas, quantas vezes somos convocados a doar nosso tempo?

Acredito que o natural seria oferecermos nosso tempo ao próximo, sem que fosse necessária uma convocação, mas tornou-se cômodo nos escondermos atrás da enxurrada de compromissos e ficarmos comodamente cuidando apenas de nossas próprias vidas, e tentando enxergar nelas problemas, dificuldades e infortúnios, que para muitos nada significariam. Daí a urgência em abrirmos nossos olhos e nossas mentes, e disponibilizarmos aquilo que nos é mais precioso, ´nosso tempo´, para ajudar a quem precise.

Se o que precisamos é de bons exemplos, vejamos o caso do Dr. Raul Alves de Araújo Melo, cirurgião-dentista que atua em São José, especializado em Odontologia do Trabalho, que começou a exercer o voluntariado há bastante tempo, motivado pelos avós que residiam e faziam trabalhos voluntários em Caraguatatuba. Hoje, mesmo envolvido com compromissos profissionais e familiares, encontra tempo e disposição para ajudar ao próximo.

Em 1998, quando era um jovem estudante de odontologia, e teoricamente deveria estar ´curtindo a juventude´, participou do projeto Universidade Solidária, antigo Rondon, prestando trabalho voluntário às comunidades de Nova Olinda – Ceará, em condições precárias. Idealismo de universitário? Não, visão humanitária!

Recentemente, ele participou de um projeto desenvolvido para prestar assistência odontológica para a Comunidade Beira Rio, próxima ao Clube de Campo Santa Rita. Durante seis meses dedicou seus sábados ao projeto, participando da fase de triagem que acontecia numa tenda dentro da Comunidade, e atendendo os pacientes que apresentavam necessidade de tratamento em seu consultório. Infelizmente, muitos pacientes não deram continuidade ao tratamento por falta de condições para ir às consultas, mas o primeiro passo, o da conscientização, foi dado.

O que devemos entender é que esse tipo de iniciativa só trás benefícios aos envolvidos. Para as cerca de quarenta crianças atendidas, foi uma da poucas oportunidades de receberem orientação e tratamento odontológico. Já para os profissionais que dedicam tempo e esforço, como fez o Dr. Raul, há um inquestionável ganho de experiência tanto profissional quanto de vida, e a satisfação de ajudar ao próximo dentro da profissão que abraçaram.

Para quem diz não ter tempo, aconselho que procurem refazer suas agendas. Para quem alega não ter dinheiro, lembre-se de que as empresas tem interesse em participar de projetos sociais. Portanto, o que falta mesmo é a boa vontade de quem possa oferecer tempo e mão de obra especializada a quem dela precise.

Se as atribulações diárias nos distanciam de uma conduta de vida mais solidária, resgatemos esse espírito prestando atenção aos bons exemplos e imitemos, como faríamos em outras épocas, pensando no bem estar de todos, e principalmente, na alegria de ver sua ação causando o bem aos que nos rodeiam.

10 dicas para ler sem esquecer

Posted on November 25, 2017April 10, 2019

A primeira vista, muitas podem parecer óbvias. Mas não as subestime. Não é sempre que a gente enxerga o óbvio. Essas 10 dicas foram retiradas do Formula Negocio Online e estou compartilhando com vocês.

1.Não leia cansado nem ansioso. Se for o caso, faça exercícios de respiração antes de começar a leitura. Estresse é o inimigo número um da concentração e, em consequência, da memorização.

2.Tenha vontade de aprender o que será lido.

3.Se não tiver vontade de antemão, procure criar interesse pelo assunto. A curiosidade é a mola da humanidade.

4.Sublinhe as palavras mais importantes e as frases que expressem melhor a ideia central.

5.Analise as informações e crie relação entre elas, seja nas linhas de cima ou com tudo o que você aprendeu na vida, trazendo-as para o seu mundo. A associação de ideias é fundamental.

6.Leve sempre em conta coisas como grau de dificuldade do texto (ler um gibi não é o mesmo que ler sobre filosofia), objetivo só querer aradar o chefe, e mais nada, não é o melhor caminho para gravar uma informação (querer ler é bem diferente de depender disso).

7.Faça perguntas ao texto e busque respostas nele.

8.Repita sempre, desde ler de novo até contar para alguém o que você leu.

9.Faça uma síntese mental. Organizar bem as ideias já é meio caminho andando.

10.A memória prefere imagens a palavras ou sons. Por isso, tente criar uma história com aquilo que está lendo, com cenas coloridas e movimentadas.

Para mais dicas como essa acesse www.afiliadogenial.com

A mistura certa dos ingredientes

Posted on August 10, 2017April 10, 2019

È extraordinário o exemplo que Max Gehringer dá sobre a receita do SUCESSO.

Ele diz que: “cada um de nós possui os ingredientes básicos para cozinhar um sucesso de dar água na boca dos outros. Uns mais, alguns menos, mas não há ninguém que, algum dia, não tenha parado para observar o próximo e se admirar: “Como é que ele conseguiu tanto com tão pouco?” Porque, basta observar, os bem-sucedidos não parecem possuir nenhum ingrediente mágico ou sobre-natural. E a resposta é mais simples do que parece: o segredo do sucesso não está na lista dos ingredientes, mas no modo de preparo. É nesse contexto que uma pergunta tão banal e tão repetida – “Você está preparado?” – ase sua real importância: “Você sabe mesmo como misturar os ingredienters que tem?”.”

Vai ao encontro de que o êxito é inerente ao ser humano. Todos vivemos para alcançar o sucesso e ter umavida bem sucedida. Como tudo tem seu preço, precisamos conhecer nossos ingredientes, saber misturá-los na dosagem certa e ter claro o tipo de “prato” que estamos preparando.

Naturalmente, muitas vezes salgaremos ou adoçaremos em demasia. Porém, toda boa cozinheira ou chief sabem que, para “acertar a mão” leva tempo e experiência, mas no final das contas todo esforço é recompensado.

Atualmente nossa sociedade prega valores invertidos. Muitos querem trabalhar pouco e ganhar muito, quando essa mesma operação é ao contrário, ou seja, devemos buscar a eficiência e, com ela, o menor esforço, o que nos proporcionará trabalhar menos.

Toda a verdade está no que as pessoas fazem de sua vida

Posted on July 19, 2017April 10, 2019

Nuno Cobra, renomado escritor, autor do livro “A semente da vitória”, conhecido como preparador de Airton Senna, Mika Hakkinem, Rubens Barrichelo, Gil de Ferran, Abílio Diniz, Sergio Machline, entre outros, fala brilhantemente que cada um é responsável até pelas próprias enfermidades.

“Tenho claro em minha mente, pelo que realizei de concreto com todos os tipos de enfermidade de fundo genético, que toda a verdade está no que as pessoas fazem de sua vida e não na vida que as pessoas recebem geneticamente. É certo que as possibilidades genéticas são um fato concreto, mas querer dizer que se vai contrair a doença por possuir uma carga genética defeituosa, aí é demais… Somente se irá adquirir esse tipo de doença ou qualquer outra se se batalhar por isso, desenvolvendo o potencial com uma vida torta e destruidora. Tudo se baseia em sua forma de viver.

O que faz a diferença são seus hábitos destruidores, que funcionam como um gatilho disparando a bala contra você mesmo. Quem aperta esse gatilho e faz vir à tona a parte fraca dos genes é você, se tiver um estilo de vida de total desrespeito à sua saúde.”

Hoje em dia existe um condicionamento no inconsciente coletivo que taxa todo tipo de enfermidade adquirida como uma “virose”, ou herança genética, fazendo com que as pessoas fiquem conformadas com a situação sem se preocupar de buscar o que causou a diminuição da resistência do organismo, fazendo com que ela ficasse esposta e vulnerável a contrair uma doença.

Muitas pessoas buscam remediar a situação sem procurar a causa, o que fará com que o medicamento sirva como um paliativo, remediando a situação naquele momento. Uma vez combatido apenas o efeito, o elemento causador tornará a se expressar numa outra oportunidade de enfraquecimento orgânico, podendo ser num momento de estafa, de stress, ou debilidade devido à má alimentação, sedentarismo, falta de descanço etc.

Não se trata de deixar o remédio de lado pois muitas vezes as pessoas ainda dependem dele, porém, está mais do que na hora de ir a procura do gerador da deficiência para combatê-lo antes dele se manifestar numa outra oportunidade, evitando-se assim, ter que remediar a situação por displicência ou falta de disciplina, falta de cuidado consigo mesmo.

A melhor pessoa para cuidar de nós somos nós mesmos. Tenha o controle da própria vida, dê o primeiro passo nesse sentido e verás que fica muito mais fácil antever o problema do que ter que remediá-lo.